Eleição voto a voto em Mauá

Voltar

Data Publicação: 10/27/2012 12:52:00 PM

Mark Ribeiro

A segunda rodada de pesquisas do Diário sobre o segundo turno ratifica que a eleição em Mauá deverá ser a mais disputada do Grande ABC. O levantamento aponta empate técnico entre Donisete Braga (PT) e Vanessa Damo (PMDB), com o petista numericamente à frente: na sondagem estimulada, tem 41,4% das intenções de voto, contra 40,5% da adversária. O cenário mostra que a disputa amanhã será voto a voto.

Ambos os candidatos permaneceram estagnados com relação à pesquisa publicada dia 18. As variações registradas ocorreram dentro da margem de erro, de três pontos percentuais no primeiro levantamento e de dois agora. Donisete oscilou 0,1% para baixo, enquanto que Vanessa variou 0,8% para cima.
 
Considerando os votos válidos, que excluem brancos e nulos, Donisete registra 50,5%, ante 49,5% de Vanessa. Este é o sistema utilizado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para publicar o resultado da eleição. No caso da pesquisa, a quantidade de indecisos também é eliminada neste cenário.
 
 
Os que não souberam responder atingem 8,6%. É este o percentual que definirá quem ganhará a eleição. Há nove dias, o índice era de 9,1%. Os que assinalaram votar em branco ou nulo oscilaram de 9,7% para 9,5%.
 
DESTRINCHANDO DADOS
O estudo mantém o paradoxo registrado no primeiro levantamento. Donisete Braga é o preferido entre as mulheres (41,9% contra 36,9%). Por outro lado, Vanessa Damo foi mencionada pela maioria dos homens (44,4% ante 40,8%).
 
A peemedebista segue como a preferida entre os mais pobres. Vanessa foi lembrada por 40,6% dos que declararam possuir rendimento familiar de até um salário-mínimo (R$ 622), enquanto que o adversário foi mencionado por 38,1%. Na outra ponta, entre os que afirmaram ter renda familiar acima de cinco salários-mínimos (R$ 3.110), Donisete lidera apertado: 43,7% a 43,4%.
 
Por nível de escolaridade, o petista alcança a melhor marca entre os que possuem Ensino Médio completo: 41,9% a 39,3%. Já Vanessa obtém seu melhor índice entre os que declararam ter completado o Ensino Fundamental: 42,3% a 40,5%.
 
As distâncias são mais evidentes no quadro por faixas de idade. Donisete é o favorito do eleitorado entre 16 e 17 anos (53,6% a 35,7%), de 35 a 44 anos (44,5% a 36,9%) e de 45 a 59 anos (46,5% a 38,7%). Vanessa dá o troco com os eleitores entre 18 e 24 anos (43,9% a 35,8%), de 25 a 34 anos (41,8% a 37,8%) e de 60 anos ou mais (44% a 37,9%).
 
O Diário ouviu 2.400 pessoas ontem. A pesquisa está registrada no TSE sob o protocolo SP-01924/2012.
 
 
FARDOS
Tanto Donisete Braga quanto Vanessa Damo tiveram de enfrentar ônus governamentais na campanha. Enquanto que a peemedebista atrelou o adversário como representante da continuidade do governo mal avaliado do prefeito Oswaldo Dias (PT), o petista ligou a rival à gestão do pai, o ex-prefeito Leonel Damo (2005 a 2008), que deixou a Prefeitura em baixa com o eleitorado.
 
 
No fim, apoios garantem a transferência de sufrágios
 
A pesquisa do Diário também mostra que as articulações em busca de apoios de candidatos derrotados no primeiro turno fazem a diferença na reta final da eleição de Mauá. Ao contrário do estudo publicado no dia 18, quando as aparições dos apoiadores nos palanques de Donisete Braga (PT) e Vanessa Damo (PMDB) ainda eram tímidas, o estudo finalizado ontem aponta que Atila Jacomussi (PPS) e Irmão Ozelito (PTB) cumpriram as expectativas aguardadas pelo petista e pela peemedebista, respectivamente.
 
Atila terminou o primeiro turno em terceiro lugar, com 26.520 votos (13,35% dos válidos). Na semana seguinte, aderiu à campanha de Donisete, tornando-se figura carimbada nos palanques do PT. Empenho que é constatado no quadro de transferência de votos da pesquisa. Dos que votaram no popular-socialista, 43,5% responderam que votarão no petista, enquanto que 29,5% declararam preferência por Vanessa.
 
Na pesquisa publicada há nove dias, o índice de transferência dos votos de Atila Jacomussi favorecia a peemedebista, citada, na ocasião, por 38,9% do eleitorado do popular-socialista, contra 28,9% de menções a Donisete.
 
A tendência foi seguida por Irmão Ozelito (PTB). Quarto colocado no primeiro turno, com 16.238 sufrágios (8,17% dos válidos), ele manifestou apoio a Vanessa no segundo turno. O levantamento do dia 18 mostrou o eleitorado do petebista dividido em 32,6% para cada um dos remanescentes na disputa.
 
Porém, a pesquisa atual revela o acerto na estratégia. Dos que declararam ter votado em Ozelito, 40,5% responderam que votarão em Vanessa Damo domingo, enquanto que 27,3% inclinaram por Donisete Braga.
 
AVALIAÇÃO DE GOVERNO
A reprovação popular ao governo do prefeito de Mauá, Oswaldo Dias (PT), segue oscilando para cima, dentro da margem de erro. Na pesquisa, 47,6% desaprovaram a administração petista (14,3% classificaram como ruim e 33,3% como péssima). O índice era de 43,5% em julho, 42,8% em agosto, 44,2% em setembro, 44,6% no início do mês e 46% no dia 18.
 
 
O percentual reflete diretamente na margem de aprovação, que variou para baixo com relação à última sondagem, chegando a 20,3% (2,9% de ótimo e 17,4% de bom). O índice era de 22,1% em julho, caiu para 18,8% em agosto, atingiu 21% em setembro, variou para 22,8% no início do mês e para 23,7% há nove dias.
 
Do número total de entrevistados, 27,3% avaliaram o governo como regular (exatamente a mesma marca da rodada anterior), sendo 8% mais para bom e 8,8% mais para ruim. Outros 4,8% não souberam responder à pergunta.